VOCÊ SABE QUE CONDIÇÕES DE ENERGIA PODEM DANIFICAR SEUS APARELHOS ELETRÔNICOS?

Você já parou para pensar que algumas horas perdidas de produção podem significar prejuízos para a empresa? Além de danos aos equipamentos, é um período de ociosidade que dificilmente se recupera. As empresas calculam que o custo anual desse tempo ocioso não planejado pode chegar a US$ 2,5 bilhões.

São diversos os motivos relacionados à queda de energia, desde edificações antigas, com redes elétricas dimensionadas a um período diferente do atual, em que temos muito mais equipamentos eletrônicos, até raios em dias de temporais. Por isso, conheça alguns dos problemas que ocasionam falta de energia.

Subtensões

Muitos equipamentos demandam mais energia no início de sua operação, como elevadores, motores, ar-condicionado, computadores, entre outros. Nesses casos, como resultado, ocorre a queda de tensão por curtos períodos de tempo. As consequências disso são danos como panes inesperadas ou congelamento do sistema.

Blecaute

É a queda total do fornecimento de energia em uma região da cidade ou do estado por um longo período. Isso traz como consequências perda de trabalhos em execução, planilhas financeiras, funcionamento de sistemas, entre outros. Aliás, veja matéria recente sobre os maiores blecautes dos últimos anos no Brasil.

Picos de tensão

Esse fenômeno ocorre quando um raio cai perto da sua localidade. Ou, ainda, pode ser causado pela companhia de energia ao retomar as atividades após uma interrupção. Nesses casos, os equipamentos podem ficar irreparavelmente danificados e, até mesmo, pegar fogo em caso de tensão momentânea potente.

Surtos

Em primeiro lugar, eles são considerados também fenômenos de pico de tensão extremamente rápidos, geralmente causados por descargas elétricas, os raios. Quando tocam o chão, formam uma potente onda eletromagnética, que é conduzida pela rede elétrica por até 5 km de distância do local de origem.

Esse problema pode danificar equipamentos eletrônicos ou a rede elétrica, sendo que os aparelhos mais afetados por essa oscilação brusca são televisores, computadores e laptops, geladeiras e freezers, máquinas de lavar e micro-ondas. Em alguns casos, podem causar, por exemplo, acidentes mais graves caso uma pessoa esteja segurando um equipamento eletrônico no momento do pico de tensão.

Ruído

Qualquer corrente ou tensão indesejada, causado por raios, motores, equipamentos industriais, transmissores. Uma das consequências é a produção de erros em arquivos e dados. Diante de todos esses riscos inerentes ao sistema, o empresário precisa adotar mecanismos de prevenção, a fim de proteger hardware, dados e demais equipamentos eletrônicos.

Enquanto medidas de aterramento são importantes nos casos de surtos, um dos equipamentos essenciais para proteger os equipamentos são os nobreaks. Isso porque, no caso de interrupção de energia momentânea, esses dispositivos garantem o funcionamento de computadores e de outros equipamentos até que seja possível realizar o desligamento de maneira segura.

O ideal é conectar o nobreak a equipamentos cuja perda possa causar prejuízos, como computadores, servidores e equipamentos do Circuito Fechado de Televisão (CFTV). Além disso, equipamentos que precisem estar ligados 24h. Exemplos disso são os portões eletrônicos, máquinas especiais de processos industriais, equipamentos médicos de diagnóstico, ressonância magnética, ultrassom, entre outros.

Os nobreaks têm autonomia para garantir um tempo extra para que as empresas possam trabalhar por mais algum período. Isso vai depender do modelo de nobreak escolhido. A NHS possui diversos modelos de acordo com a sua necessidade, seja corporativa ou residencial.

Quer se prevenir numa próxima eventual queda ou pico de energia? Entre em contato com nossa equipe e peça uma avaliação para sua necessidade.